Vitrine
Home | Quem somos | Contato | Listagem de Salões e Clínicas de Estética! | Produtos e Serviços | Seja nosso REPRESENTANTE | Blog

 

 

CADASTRE-SE
GRÁTIS
Cadastre-se e faça parte de nossa lista de pesquisa. Divulgue seu salão e faça com que ele fique ainda mais conhecido e visível na WEB...













   
Notícias

Home » Destaques » Cabelos Brancos:Como funciona a genética, o que fazer para previni-los e como tratá-los

02/12/2010

Clique na imagem para ampliar

 

Cabelos saudáveis e bonitos depende de muitos cuidados. Corte, hidratação, luzes, escova e caprichos sem fim. Mas quando os primeiros fios brancos aparecem, a impressão é de que nada é capaz de resolver o problema. Multiplicando-se na velocidade da luz, eles surgem quando menos se espera, e nos lugares que menos gostaria.


Certamente já escutamos por aí que o estresse pode antecipar a chegada dos fios brancos. Mas, por mais malefícios que este mal da vida moderna possa provocar, esteja ciente de que, desta acusação, ele está livre. "Ao contrário do que se pensa o estresse não desencadeia o processo, mas faz com que os cabelos caiam mais depressa. O cabelo branco aparece porque ocorre um fenômeno anatômico chamado apoptose, que é a morte da célula que produz a melanina - pigmento que dá a cor aos pêlos e a pele. A morte desta célula, o melanócito, é programada. Portanto, a hora em que esta apoptose começa é determinada geneticamente", esclarece Joana Darc Diniz, Presidente da Sociedade Brasileira para Estudos do Cabelo - RJ.


Se sua mãe tem cabelos brancos desde pequena, prepare-se para a sina. A genética, nesses casos, é praticamente uma imposição, não deixando escapatória. "Há famílias em que jovens, antes dos 18 anos, já têm cabelos brancos. Mas do ponto de vista racial, nos brancos, se manifestam entre os 35 e 45, nos amarelos, entre os 45 e 55, e nos negros, a partir dos 55 anos", informa Dra. Joana, acrescentando que, além da questão genética, em algumas ocasiões, o culpado pode ser uma falha nutricional. "É raro, mas a baixa ingestão de cobre pode acelerar o processo, levando a um embranquecimento precoce dos cabelos", explica. Para evitar o problema, basta garantir a ingestão do mineral - tarefa nada difícil. "O chocolate meio amargo e os frutos do mar são ricos no nutriente", indica a médica, esclarecendo que apesar de não ter ligação com o embranquecimento, o estresse pode acabar, indiretamente, desencadeando o processo. "Alguns traumas, que geram uma queda capilar, como o eflúvio telógeno, o vitiligo capilar, ou a alopecia areata, podem fazer com que os próximos fios nasçam sem pigmentação", cita Joana Darc.


Histórias de cabelos

Cabelos pretos não costumam ficar, de uma hora para outra, brancos. Como os fios crescem por anos com pigmentos dentro deles, a menos que morram, não há processo natural que possa destruir a melanina rapidamente. Apesar desta certeza, uma história ficou famosa entre dermatologistas e especialistas de cabelo. Diz a lenda que Maria Antonieta, rainha francesa condenada à guilhotina, quando soube de sua sentença, ficou com os cabelos brancos em questão de horas. O que se acreditava ter sido um embranquecimento total dos fios, nada mais foi do que uma queda abrupta dos fios pretos - antigos e fracos -, e a permanência dos brancos - recentes e, por isso, mais resistentes.


Por dentro do fio

Antes de sair arrancando, achando que basta puxar para acabar com o inconveniente, pense duas vezes. O fio branco não é um fio doente, ruim, nem menos liso ou macio que os outros. "Apenas os grânulos e pigmentos - que antes davam cor aos cabelos - são substituídos por bolhas de ar. Isso faz com que fiquem mais grossos. Mas não se preocupe, depois de um tempo, eles voltam a ficar com a espessura normal. O que não adianta é arrancar, pois ele nasce de novo da mesma cor. Agora, dizer que, para cada um que se arranca, nascem sete no lugar é besteira!", desmitifica Dra. Joana.


O que define a cor dos cabelos é a quantidade e o tipo de melanina contida nos fios. "A melanina é encontrada sob diversas formas. Cabelos pretos e castanhos contêm eumelanina, um pigmento escuro. Ruivos e louros têm um pigmento brilhante chamado feomelanina. Mas é possível, e comum até, ter a mistura desses dois pigmentos. Já os cabelos grisalhos contêm uma pequena porção de melanina, enquanto que cabelos brancos, nenhuma", diferencia a especialista.


Pintar ou não pintar, eis a questão

Para quem odeia a aparência dos fios brancos, pintar continua sendo a única saída. Pelo menos por enquanto, mas a indústria científica promete surpresas em breve. "A Anti-cancer Inc é uma empresa americana que vem trabalhando no desenvolvimento de um gel que promete devolver a cor aos cabelos. O produto, ainda não comercializado, recebeu o nome de gene juice (suco de gens), mas é apenas uma promessa", antecipa Joana Darc Diniz. Até lá, a tintura é o único remédio. No entanto, nem todas são adeptas da tintura, preferindo mostrar o que muita gente vive escondendo. Para as que vêem um pouco de charme nos cabelos brancos, o segredo é não descuidar da saúde dos fios. "Para evitar o amarelamento, comum na cor branca, existem xampus específicos. Diversas marcas, como a Keune, oferecem produtos especiais, capazes de manter o fio mais branco e brilhante", exemplifica a médica.


A Keune oferece o Silver Reflex Shampoo, que promete realçar a cor prata dos fios brancos, remover o amarelo dos grisalhos, e neutralizar o amarelo do descolorido. Pau pra toda obra, é à base de pantenol e proteína de trigo. Outra marca disponível no mercado é a Lush, com seu xampu Daddyo. À base de infusão de limão, óleo de coco e algas marinhas, o produto promete restaurar a cor, além de fortalecer e amaciar os fios.


Mas nada de ficar só nos xampus. Se cabelo já dá trabalho, os brancos exigem um pouco mais. Joana Darc Diniz sugere: "Quem assume os fios brancos tem grande preocupação em mantê-los bonitos. Além dos xampus específicos para o tipo de cabelo, oriento meus pacientes a praticarem a ginástica capilar para irrigação contínua, aumentando a nutrição celular. Outra técnica com bons resultados é a laserterapia, que garante a oxigenação das células". Com tantas opções, só aparenta mais idade quem quiser.

Fonte: http://www.belezaestetica.com

Dra. Joana Darc Diniz
Cirurgiã Especialista em Medicina Estética, é presidente da Sociedade Brasileira para Estudos do Cabelo - RJ e diretora científica da Sociedade Brasileira de Medicina Estética - RJ


SGBeauty
Clique para logar no sistema!
Suporte On Line
Clique para logar no chat!
seg/sex
09:00 as 18:00
Vitrine
     
By Studio 2
Todos direitos reservados © Salão de Beleza e Cia
comercial@salaodebeleza.com.br